Araci: Após ficar 33 dias internado, idoso de 81 anos com várias comorbidades vence a covid-19

Foto: Arquivo Pessoal

Rachel Pinto

A vida do idoso Raimundo Lima de Santana, de 81 anos, morador do município de Araci, a cerca de 100 quilômetros de Feira de Santana, é marcada por muitos momentos difíceis e também muitas vitórias e exemplo de fé e esperança.

Depois de 50 anos de casado, ficou viúvo, perdeu a companheira da vida inteira e lida diariamente com as saudades. Em seguida, perdeu 80% da visão, acometido de complicações da diabetes amputou as duas pernas e recentemente foi infectado pela covid-19. Ficou 33 dias internado, foi transferido para o Hospital Couto Maia em Salvador e depois de muitas batalhas, sua história segue com um enredo de superação e é motivo de alegria e gratidão para toda família.

A filha, a enfermeira Linda Dantas Leite, conta sobre a sua vida com muita admiração e agradecendo a Deus por todo aprendizado que tiveram depois de tantos momentos difíceis que passaram.

De acordo com ela, quando perdeu 80% da visão, o pai buscou aprender a sequência de casa e se adaptar com esta limitação. Hoje, mesmo enxergando muito pouco, ele conhece cada lugar da casa onde mora e sabe onde está cada objeto. Além disso, depois que amputou as pernas, também buscou se adaptar às novas limitações.

Se dedicou ao processo de reabilitação, optou por colocar as próteses e mais uma vez mostrou a sua vontade de viver.

Hoje, depois de curado do coronavírus, Seu Raimundo, continua sendo forte e resiliente e renova suas energias através do amor a Deus.

Linda conta que a família ficou muito apreensiva quando soube que ele foi infectado pela covid-19. O idoso ficou internado em Salvador, sem poder receber visitas e de acordo com ela, ele nunca perdeu a fé e nem deixou de orar.

A enfermeira acredita que o pai é um herói e comemorou o fato dele continuar alegre e firme ensinando a todos com o seu exemplo de vida.

“Meu pai sempre foi um homem batalhador, de fé e força. Nunca se entregou e mesmo quando ficou sozinho em um leito de hospital deixou de ficar em oração. A fé o curou e ele já está em casa firme e forte no aconchego da família. A vida vale sempre a pena e somos nós que damos combustível para ela. A fé e o amor nos torna capazes de vencer todas as lutas. Só basta ter Deus e deixar que ele nos guie para onde devemos ir”, afirmou.

O aniversário de Seu Raimundo foi no dia 13 de junho e  devido a ele estar internado e ao clima de incertezas, não teve nehuma comemoração. As  suas quatro filhas não veem a hora da pandemia passar para que todos posam ficar juntos novamente, comemorar a vida nova do pai e dar e receber um abraço de aconchego, agradecimento e alegria.

Fonte: Acorda Cidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *