Produto Chinês: Compra de internet vinda de Wuhan chega a Araci; os produtos podem estar contaminados com Coronavírus? Especialista responde

Enquanto muitos brasileiros esperam pacientemente suas compras de sites como AliExpress, Wish e Lightinthebox, surgiu a dúvida: será que os produtos originários da China, onde o agente do coronavírus foi recentemente identificado, podem oferecer risco de infecção a quem abrir uma encomenda?

Um leitor do A Voz do Campo enviou a imagem de um produto comprado na China, que chegou recentemente em Araci, e veio justamente de Wuhan, a cidade onde surgiu o surto de Coronavírus.

De acordo com Flávio Alcântara, patologista clínico e médico assistente do HC-FMUSP (Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo), embora ainda não haja um estudo experimental (por ser um vírus novo), o envio de embalagens por correio internacional não deverá trazer risco, devido ao tempo decorrido do envio a chegada.

“O agente é de uma família de vírus que são cobertos com um envelope lipídico, o que os torna sensíveis a dessecamento prolongado. Além disso, a lavagem das mãos com água e sabão é capaz de inativar um vírus com esta característica”, esclarece.

Conforme explica o infectologista João Prats, da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, justamente pelas características do vírus, a estimativa é que assim como outros vírus, como o da gripe, ele dure menos de 24 horas fora de um corpo, como seria com objetos encomendados. “Os vírus que mais duram são os que contaminam a água e o solo, como o enterovírus. Por existirem mais formas de transmissão, eles também podem acometer mais pessoas”, aponta.

Ou seja, pode comemorar sem medo quando o tão esperado pacotinho chegar: com o tempo entre a compra, despacho pelo vendedor e transição para chegar ao Brasil, seus pedidos internacionais estão seguros para serem abertos em casa.

Comentários