Premiação gera desconforto no Flamengo antes da final do Mundial

21/12/2019 01:34 •
Warning: Undefined variable $post in /home/wwavoz/public_html/wp-content/themes/avozdocampo/functions.php on line 17

Warning: Attempt to read property "ID" on null in /home/wwavoz/public_html/wp-content/themes/avozdocampo/functions.php on line 17
3m de leitura

Poucas horas antes da partida contra o Liverpool pela final do Mundial de Clubes, a diretoria e o elenco do Flamengo se encontram em um impasse após o presidente Rodolfo Landim brecar o pagamento da premiação a alguns membros da comissão técnica e funcionários do clube pelos títulos do Campeonato Brasileiro e da Libertadores. A informação foi publicada pelo GloboEsporte neste sábado. A divisão da premiação seria de 70% do valor para o elenco e 30% para o restante dos funcionários, e o primeiro pagamento deveria ter ocorrido no último dia 20. Seriam R$ 67,2 milhões repassados como premiação, mas, no atual cenário, apenas jogadores e membros portugueses da comissão técnica, por conta de acordo com o treinador, receberiam o dinheiro, diz a reportagem. O presidente Rodolfo Landim, em entrevista para o canal RaFla Mello em Doha, pouco depois da publicação da matéria, rebateu e minimizou a história. Ele disse que houve um “questionamento sobre o critério de rateio” e afirmou que pediu um tempo para avaliar a questão, justificando dessa maneira o atraso. O mandatário, entretanto, garantiu que a premiação “será analisada e paga”. “Está tudo perfeito, não tem discussão nenhuma com relação ao pagamento de jogador, nem de comissão técnica, os valores já estão todos certos, aprovados e eles têm conhecimento disso”, declarou o presidente antes de afirmar que os critérios para o restante dos funcionários estão sendo revistos. No entanto, o mandatário garante que a questão teve “zero de impacto em jogadores e comissão técnica”. Mas a reportagem diz que os jogadores, incomodados, saíram em defesa dos funcionários. Antes do treinamento do último sábado, Diego, Éverton Ribeiro e Diego Alves se reuniram com Marcos Braz, Bruno Spindel e Paulo Pelaipe para conversar sobre o ocorrido. Após ser questionado sobre a situação por jogadores, Braz explicou que o clube não estava se negando a pagar e, sim, costurando um acordo. O episódio foi contado a Jorge Jesus durante o treinamento do último sábado e causou desconforto na concentração em Doha. O treinador tentou encontrar uma solução junto a Landim, mas ainda sem sucesso. Diretor executivo, Bruno Spindel foi chamado pelos jogadores para conversas no almoço da última sexta-feira, mas não apareceu, informou o veículo.

Leia também