“O Canal do Sertão Baiano será um divisor de águas no desenvolvimento do interior da Bahia”, diz Roma

O pré-candidato a governador João Roma (PL) anunciou que as obras do Canal do Sertão da Bahia devem iniciar em seis meses. Atualmente o projeto executivo da obra, que deve detalhar o andamento do empreendimento, já foi contratado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional. “O Canal do Sertão Baiano será um divisor de águas no desenvolvimento do interior da Bahia”, disse Roma, em entrevista à Rádio Itapicuru, de Ponto Novo, nesta terça-feira (12). Roma, durante a entrevista, explicou que a construção do canal, que será o sexto trecho da obra de transposição do Rio São Francisco, vai perenizar os rios Itapicuru e Jacuípe. “O presidente Jair Bolsonaro também deu autorização para o estudo das obras que vão interligar as bacias, possibilitando perenizar também o Vaza Barris”, explicou Roma, que salientou o benefício para a atividade agropecuária na região. O município de Ponto Novo, devido às dificuldades para manter a irrigação de suas lavouras, perdeu uma série de empreendimentos. A barragem do município, que deveria atender a três ou quatro cidades da região, atende atualmente a mais de 30, o que causa grande dificuldade para a manutenção da produtividade rural. A manutenção da barragem é responsabilidade do Governo do Estado. Ao comentar essa informação, o ex-ministro da Cidadania pontuou que “o PT não trabalha para melhorar a vida das pessoas. Querem que as pessoas fiquem com as mãos estendidas, dependentes do estado”. Roma disse que esse transtorno para os produtores da região vai acabar, pois o Canal do Sertão Baiano vai perenizar o fluxo das águas e possibilitar a continuidade os projetos de irrigação. O ex-ministro da Cidadania disse que, assim como as águas chegaram lá ao Rio Grande do Norte, agora chegou a vez da Bahia. “Eu tenho certeza que o mesmo presidente que em três anos conseguiu concluir a transposição do Rio São Francisco vai fazer jorrar água no sertão baiano”, declarou o pré-candidato a governador do PL.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.