Tecnologia ajuda na captura de 12 foragidos nos festejos de São João

Destaque no São João 2022 e utilizado pela primeira vez nas comemorações, o Reconhecimento Facial da SSP ajudou a capturar 12 foragidos da Justiça nas cidades de Porto Seguro, Salvador, Itaberaba e Jequié, durante o esquema de segurança montado pela SSP. O município de Porto Seguro liderou o número de localizados com oito prisões entre os dias 16 e 24 de junho. Os criminosos possuíam mandados pelas práticas de tentativa de homicídio, tráfico de drogas e associação ao tráfico, roubo e ausência de pagamento de pensão alimentícia. Na sequência aparece Salvador com duas capturas, na quinta-feira (23) e domingo (26), após o sistema emitir alertas e impedir que dois procurados por roubo tivessem acesso ao Parque de Exposições Agropecuárias de Salvador. Em Jequié e Itaberaba houve as prisões de um homicida e um procurado por furto, nos dias 18 e 24, respectivamente. A tecnologia, que desde o lançamento em 2018 ajudou a localizar 278 criminosos, seguirá empregada entre os dias 30 de junho a 2 de julho. “Esse foi mais um grande evento em que utilizamos o Reconhecimento Facial para reforçar as ações policiais, tendo como principal finalidade evitar a entrada de criminosos nos espaços das festas. Mais uma vez ficou evidente a eficácia da ferramenta e o quanto as equipes em campo são capacitadas para conduzir ocorrências de identificação de foragidos”, pontuou o secretário da SSP, Ricardo Mandarino.

 Ocorrências

A ausência de Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs) também foi destaque na festa que contou com o emprego de 28 mil policiais e bombeiros. Mais de R$ 9 milhões foram investidos entre efetivo e estrutura. Nas cinco noites de festa (22 a 26 de junho) não foi registrado nenhum crime contra a vida (homicídio, lesão corporal seguida de morte e latrocínio). No mesmo período, foram computadas pela instituição 24 prisões em flagrante – dentre elas as capturas do líder do tráfico de Várzea da Roça e do autor de chacina em Cruz das Almas, ocorrida em abril deste ano. Cinco armas de fogo e três armas brancas apreendidas, 41 lesões corporais, 251 furtos, seis roubos e uma importunação sexual registradas. “A Operação São João foi mais um resultado fruto do trabalho conjunto desenvolvido pela polícia Civil e Militar. E tivemos grandes prisões realizadas nesse período que, com certeza, trarão mais tranquilidade para o nosso estado”, declarou a delegada-geral da PC, Heloísa Brito. As ações preventivas e ostensivas do esquema de segurança que também aconteceram fora dos circuitos resultaram na apreensão de um fuzil de fabricação americana, na quarta-feira (22), no bairro de São Gonçalo do Retiro, em incursões do Departamento de Polícia Metropolitana (Depom). Em uma outra diligência, no sábado (25), noventa e oito tabletes de maconha e cocaína avaliados em R$ 400 mil foram encontrados, em um imóvel, no bairro de Pituaçu, pela Rondesp Atlântico, 13ª Companhia Independente da Polícia Militar e pelo Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco). R$ 1 milhão em drogas (cocaína, maconha e haxixe) que seriam comercializados durante o período de festas juninas foram apreendidos, na última terça-feira (21), pelo Draco da Polícia Civil e unidades da PM, após informações da Superintendência de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública. Unidades da Polícia Militar recuperaram, entre os dias 16 e 26 de junho, na Bahia, 16 veículos roubados, retiraram de circulação 18 armas de fogo, apreenderam 11 adolescentes e conduziram 167 pessoas para delegacias. “Utilizamos todos os processos possíveis para levar segurança à população. Desde o policiamento a pé, até a utilização de aeronaves, e foi realmente um sucesso o esquema montado pela Secretaria da Segurança Pública para servir a sociedade baiana”, disse o comandante-geral da PM, coronel Paulo Coutinho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.