Grave acidente com dupla sertaneja deixa seis mortos e 11 feridos no interior de São Paulo

Um grave acidente com o ônibus que levava a dupla Conrado e Aleksandro deixou seis mortos, entre eles, o próprio Aleksandro, que tinha apenas 34 anos, neste sábado (7), por volta das 10h30, quando passavam pela avenida Régis Bittencourt, na altura de Miracatu, no interior de São Paulo. A dupla havia deixado Tijucas do Sul, no Paraná, e iria se apresentar na cidade paulista de São Pedro no sábado. O cantor Conrado está internado em estado grave. No acidente, também morreram Wisley Aliston Roberto Novais (músico), Marzio Allan Anibal (músico), Giovani Gabriel Lopes dos Santos (roadie/técnico), Roger Aleixo Calcagnoto (músico) e Gabriel Fukuda (técnico de luz). Segundo a Polícia Rodoviária Federal, 19 pessoas estavam no ônibus. Informações preliminares indicam que o pneu dianteiro esquerdo do ônibus estourou, fazendo com que o motorista perdesse o controle e o veículo tombasse no canteiro central da pista. Há informações de que o ônibus que levava a dupla sertaneja trafegava em alta velocidade. Imagens feitas por uma pessoa que trafegava na mesma região mostram o veículo acelerando a aproximadamente 130 km/h. Além das seis mortes, 11 pessoas ficaram feridas e foram socorridas para prontos-socorros próximos. Conrado foi a primeira pessoa a ser socorrida e levada para o hospital após o acidente. O sertanejo precisou passar por uma cirurgia. “Ao dar entrada no hospital foi avaliada a necessidade de uma cirurgia geral. O cantor encontra-se no momento na UTI, em estado grave, mas estável, sendo necessário aguardar a evolução do quadro nas próximas horas”, informou a equipe da dupla sertaneja, nas redes sociais. Além de Conrado, um dos músicos da banda, Júlio César Bugoli Lopes, também está internado em estado grave. Ele precisou de uma neurocirurgia e também passou por intervenções ortopédicas. O produtor da dupla, Ricardo Ernesto Silva, estava em choque após o acidente. Em entrevista, ele relatou detalhes do acidente e disse que tentou socorrer todos da equipe, mas foi impossível, já que alguns ficaram prensados embaixo do veículo. “O pessoal estava dormindo, descansando do show da noite passada. Eu estava acordando na hora e só escutei um barulho e o motorista gritando: ‘Meu Deus, meu Deus!’. Na hora que eu vi, o ônibus já estava arrastando no chão. Tentamos socorrer todo mundo, conseguimos tirar quatro ou cinco que não estavam embaixo do ônibus. Infelizmente os outros o ônibus caiu em cima, prensou o pessoal e não teve como, teve que esperar o resgate erguer”, disse em entrevista exibida no Jornal Nacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.