CFM pede que proibição da venda de cigarros eletrônicos seja mantida

O Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgou nota, nesta segunda-feira (2), pedindo que a proibição da venda, importação e propaganda de cigarros eletrônicos seja mantida. De acordo com o portal Metrópoles, parceiro do BN, o posicionamento é uma resposta à mobilização de alguns segmentos que pedem mudanças na legislação para conseguir a liberação da comercialização do produto no país. “O cigarro eletrônico é a porta de entrada para o tabagismo. Estudos já comprovaram os riscos da nicotina para doenças cardiovasculares e respiratórias, dependência química e câncer”, disse o presidente do CFM, José Hiran Gallo, na nota. O CFM pede que os médicos orientem os pacientes e a população em geral a não utilizarem o dispositivo, informando sobre os efeitos nocivos à saúde. Neste sentido, o conselho pede ainda que o governo e o Congresso Nacional se comprometam a manter a proibição do uso dos dispositivos eletrônicos em lei, além de reforçar a fiscalização e controle e desenvolver campanhas de esclarecimento sobre os malefícios da prática.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.