Explosão em refinaria ilegal de petróleo na Nigéria deixa mais de cem mortos

Pelo menos cem pessoas morreram numa explosão em uma refinaria de petróleo clandestina no sul da Nigéria, uma área devastada por décadas de vandalismo e exploração ilegal de hidrocarbonetos. A explosão ocorreu na noite de sexta-feira no local clandestino entre os estados petrolíferos de Rivers e Imo, no sul, informou a polícia. “O incêndio ocorreu em uma instalação ilegal e afetou mais de cem pessoas”, disse o comissário estatal para recursos petrolíferos, Goodluck Opiah. Testemunhas relatam que local da explosão está repleto de veículos e tambores carbonizados, usados para transportar o petróleo roubado. Uma investigação foi aberta para determinar o que causou a explosão de sexta-feira, disse à AFP o chefe da Agência Nacional de Detecção e Resposta à Transferência de Petróleo (Nosdra), Idris Musa. “As investigações estão em andamento e o incêndio que começou após a explosão foi parcialmente controlado”, disse ele. Essa é a última de uma longa série de incidentes neste país, o maior produtor de petróleo da África, onde esse tipo de acidente é frequente. Na região petrolífera do Delta do Níger, criminosos de algumas comunidades locais vandalizam rotineiramente oleodutos para transferir e roubar petróleo, que é refinado em locais clandestinos, para finalmente serem vendidos no mercado paralelo. A maioria dos habitantes vive em extrema pobreza, apesar dos milhões de dólares gerados na região, com uma produção de cerca de dois milhões de barris por dia. A Nigéria obtém 90% da receita nacional com as exportações de petróleo. Segundo fontes do setor formal, o país perde cerca de 200 mil barris de petróleo por dia devido ao vandalismo, roubo e transferência ilegal de petróleo. Mas os habitantes da região acusam as grandes petroleiras de terem contribuído para a contaminação da área, sem participar de seu desenvolvimento. Décadas de incidentes devastaram manguezais e vilarejos inteiros, onde a pesca e a agricultura garantiam a sobrevivência como fonte de renda local. A pior explosão de um oleoduto na Nigéria ocorreu em outubro de 1998 na cidade de Jesse, no sul do país, causando mais de mil mortes entre seus habitantes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.