Caminhada celebra o Dia Mundial de Conscientização do Autismo em Araci

Neste último sábado, 02 de abril, foi realizada uma caminhada para celebrar o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, em Araci, região sisaleira da Bahia. Famílias e amigos de autistas de Araci se reuniram na caminhada, realizada todos os anos no dia 2 de abril, com o objetivo de conscientizar a população sobre o que é o autismo, ajudando assim famílias a reconhecer o espectro, para que diagnósticos sejam realizados precocemente e assim, rapidamente ter acesso aos tratamentos. Além de informar, para redução do preconceito, mostrar que os autistas são aptos a viver socialmente, que têm direito à inclusão, aos tratamentos e, dignidade, como qualquer cidadão.

“Foi lindo de ver a caminhada. As mães, pais, famílias e amigos dos Autistas unidos por uma causa: conscientizar a comunidade Araciense sobre o autismo. Mostrar que autistas são capazes, precisam viver felizes e sem preconceito”, destacou Pachiele da Silva, mãe de Doni, adolescente autista de 15 anos. Segundo Pachiele, é importante destacar a incidência do aumento de diagnósticos do autismo. “Minhas primeiras leituras em livros, traziam que epidemiologicamente falando, os diagnósticos eram de 1 a cada 10.0000. Em 2008 (ano do início dos meus estudos sobre autismo) eram 1 a cada 125. Nos últimos números da CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) dos Estados Unidos, emitido em seu último relatório dezembro de 2021, que os diagnósticos já está de 1 a cada 44. Não diferente, hoje Araci conta com um bom número de pessoas diagnosticadas com autismo. Tanto que a caminhada foi organizada pelo grupo de mães de autistas de Araci, que conta com 50 mães participantes”, disse.

Autismo

O autismo — nome técnico oficial: Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) — é uma condição de saúde caracterizada por déficit na comunicação social (socialização e comunicação verbal e não verbal) e comportamento (interesse restrito ou hiperfoco e movimentos repetitivos). Não há só um, mas muitos subtipos do transtorno. Tão abrangente que se usa o termo “espectro”, pelos vários níveis de suporte que necessitam — há desde pessoas com outras doenças e condições associadas (coocorrências), como deficiência intelectual e epilepsia, até pessoas independentes, com vida comum, algumas nem sabem que são autistas, pois jamais tiveram diagnóstico. Fonte: canal autismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.