Mãe e filho que se diziam pastores de igreja são presos na Bahia suspeitos de manter crianças em cárcere privado

Um homem de 23 anos e uma mulher, de 58, que se diziam pastores de uma igreja evangélica, foram presos em Feira de Santana, cidade a 100 quilômetros de Salvador, suspeitos de manter cinco crianças em cárcere privado e por estupro de vulnerável. O caso aconteceu na quarta-feira (26), quando a dupla foi presa por policiais da Delegacia para o Adolescente Infrator (DAI). A Secretaria de Segurança Pública do Ceará (SSP-CE) informou que os dois são mãe e filho. A DAI de Feira de Santana recebeu informações da Polícia Civil do Ceará, após uma denúncia do Conselho Tutelar da cidade cearense de Cruz, que apontava que uma mulher e os filhos dela foram para Feira de Santana, onde ficaram em cárcere privado. No município baiano, a família, além de estar em situação de cárcere privado, era maltratada por pessoas que eram pastores de uma igreja. Conforme a titular da DAÍ, delegada Danielle Lima Matias dos Santos, a mãe das crianças contou que recebeu a promessa de uma “vida mais tranquila” e que confiava na dupla. “A mãe das crianças informou em depoimento que ela foi convencida a vir do estado do Ceará para Feira de Santana, por confiar nestas pessoas que se diziam pastores e prometeram uma vida mais tranquila do que a que ela tinha no Ceará, além auxílio espiritual”, disse Danielle Santos. De acordo com a SSP-CE, a família é assistida pelo Centro de Referência da Assistência Social (CRAS). As crianças tem entre 8 e 14 anos. O Conselho Tutelar de Cruz descobriu o caso após a família entrar em contato com os agentes via mensagem de aplicativo e relatar que estava em situação de maus-tratos, na Bahia. A vítima não conseguia passar informações sobre a localização dela, mas enviou a foto da placa de um veículo. Foi a partir daí que as investigações da Polícia Civil de Ceará iniciaram e os policiais civis conseguiram chegar até o paradeiro da família. Segundo a Polícia Civil da Bahia, o homem é suspeito de ter estuprado uma das vítimas, que tem 12 anos. “Ele estava mantendo relações sexuais com uma criança de 12. Acionamos o conselho tutelar de Feira para acolhimento das vítimas”, disse a delegada. O delegado da cidade Cruz, Júlio César Chiarini, informou que a adolescente, que era a mais velha entre as meninas, estava sendo induzida, pelos religiosos, a casar com o homem. No entanto, a mãe da garota se recusou a assinar documentos que consentia o casamento. Após a decisão da mãe da garota, a menina foi trancada em um quarto com o suspeito, onde foi estuprada. Ainda segundo informações policiais, as outras crianças eram forçadas a trabalhar e eram agredidas pelos suspeitos. Tanto o homem quanto a mulher foram encaminhados para a delegacia, onde foram ouvidos. Eles passaram por exames de corpo de delito no Departamento de Polícia Técnica (DPT) e continuam custodiados à disposição da Justiça. A SSP-CE informou que o homem também teve a prisão em flagrante convertida em preventiva. Já as vítimas foram acolhidas pelo governo da Bahia. “A família foi acolhida e amparada e estamos tomando providências para que ela retorne ao Ceará”, relatou Júlio César Chiarini.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.