Bahia está em alerta pela variante Delta e nova onda de Covid-19 não é descartada

Sinal de atenção em todo o mundo, a variante Delta já dá sinais de crescimento na Bahia, que agora contabiliza 14 casos Bahia e possui dois óbitos decorrentes da nova cepa da Covid-19, de acordo com dados divulgados pela Secretaria de Saúde nesta quarta-feira (22/09). A variante, mais transmissível que a P.1, Gama, deixa a Bahia em estado de alerta e a secretária interina da Saúde, Tereza Paim, reforça a necessidade de manter os cuidados contra o vírus. “É um estado de alerta, por isso nós estamos alertando a população. Nós não deixamos de ter o vírus presentes, ele está presente, mas lembrar que 80% da população da Bahia, do que a gente pesquisa em termos de sequenciamento ainda é aquela P.1, a Gamma”, afirma. “A cepa Delta não é a predominante, mas ela está aí e se espalha muito rápido por isso que a barreira física, máscara, distanciamento, ainda é prioritária”, acrescenta. Ela afirma ainda que o estado está preparado para uma possível nova onda da Covid-19, mesmo após o governo ter desmobilizado hospitais de campanha equipados nas fases críticas da pandemia. “Estamos, sim, preparados, se uma nova onda vier, todos os leitos, aqueles 1.700 que nós estamos reconvocando para não Covid, virarem novamente atenção a Covid”, salienta. No Papo Correria desta terça-feira, 21, o governador Rui Costa (PT) admitiu preocupação com a estabilização dos casos do novo coronavírus no estado, e que os índices mostram que as pessoas voltaram a se contaminar “com força”. Após alcançar a marca de menos de 300 novos casos em 24h, a Bahia voltou a registrar mais de 1 mil contaminados neste mesmo período. De acordo com boletim divulgado pela Sesab nesta quarta-feira, 22, o estado somou 1057 casos de Covid-19 e 7 óbitos. O primeiro caso detectado na Bahia da cepa originária na Índia foi no dia 26 de agosto. Menos de um mês depois, são 14 casos e um aumento de 1300%. “Significa que a doença parou de cair, que o vírus voltou a contaminar com força as pessoas. Isso nos preocupa. Fica aquela sensação de liberou geral, tá todo mundo livre da doença. Isso não é verdade. Infelizmente, está longe de ser verdade”, disse Rui. Leia mais em ATarde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *