Anvisa conclui que morte de adolescente em São Paulo após ser imunizada não está relacionada à vacina

A morte de uma adolescente em São Paulo atribuída a vacinação contra covid-19 foi negada pela a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), nesta segunda-feira (20). Representantes do órgão federal receberam informações do Centro de Vigilância Epidemiológica do estado da Região Sudeste que negam a relação e afirmaram que os dados apresentados foram considerados “consistentes e bem documentados”. A jovem morreu sete dias depois de ter tomado vacina contra a covid-19. A causa provável, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, foi atribuída ao diagnóstico de doença autoimune, denominada púrpura trombótica trombocitopênica (PTT), identificada com base no quadro clínico e em exames complementares. “O relatório de investigação elaborado pelo Centro de Vigilância Epidemiológica de São Paulo foi recebido pela agência na noite deste domingo, 19 de setembro, contendo detalhes de todo o processo de avaliação que concluiu não ser possível atribuir diretamente o óbito à vacinação”, informou a Anvisa em nota.

Com informações da Agência Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *