A festa de São João Batista no santuário do seu nascimento

A celebração do nascimento de João Batista celebrado em Ein Karem, a 10 quilômetros de Jerusalém. Do eremitério imerso na natureza onde Isabel , o escondeu da perseguição de Herodes ao santuário construído no local de seu nascimento.

Lurdinha Nunes – Jerusalém

São João no deserto, o nome deriva da passagem Evangélica que narra o nascimento de São João Batista: “O menino crescia e se fortalecia em espírito. Ele viveu em regiões desertas até o dia de sua manifestação a Israel (Lc 1,80).” Local de beleza genuína, preserva a riqueza de tradições centenárias. O som da água flui incessantemente da fonte que constitui o centro do assentamento monástico.

Fr. SERGEY LOKTIONOV, ofm – Guardião- Santuário São João no deserto

Esse som vem de uma fonte chamada “Ein Qamis” e lembra a história de um eremita. Ela é conhecida como “a fonte do eremita”. No grande bloco de pedra, uma gruta lembra outros acontecimentos da vida de João Batista.

Fr. SERGEY LOKTIONOV, ofm – Guardião São João no deserto

Esta é uma gruta natural que foi ampliada ao longo do tempo. Diz a tradição que nesta gruta, Santa Isabel se escondeu com seu filho João, que mais tarde se tornou o Batista, da perseguição de Herodes. Vemos um afresco recente, de 2004, feito por frades da Itália e representa o esconderijo de João por sua mãe Isabel. Na véspera da festa de São João, o sino tocou anunciando o início da celebração. De Jerusalém, Ein Karem e arredores, chegaram os fieis para participar da oração das vésperas presidida por Fr. Dobromir Jaztal- Vigário da Custódia da Terra Sant, junto aos franciscanos e religiosos das comunidades locais. Todos seguiram em procissão até a gruta onde é proclamado o Evangelho de São Lucas que narra a missão de João Batista, como está escrito no livro do profeta Isaías: “Voz de quem clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai os seus caminhos…” Em sua reflexão, Fr. Dobromir, destacou dois aspectos relativos à figura de São João e à sua missão.

Fr. DOBROMIR JAZTAL, ofm – Vigário da Custódia da Terra Santa

João, antes de mais nada, convida à conversão. Mostra-nos a única forma eficaz de poder dar lugar ao Senhor, de o acolher. O segundo aspecto é o que diz respeito ao conteúdo. O próprio João se torna uma voz no deserto: “Preparai o caminho para o Senhor”. Este convite a preparar o caminho para o Senhor não significa fazer uma ação que facilite a passagem do Senhor ao nosso lado, mas significa comprometer-nos espiritualmente, no coração, para preparar o lugar para acolher o Senhor, para não deixá-lo passar, mas para recebê-lo dentro de nós, em nossa vida e em nossa existência.

Natividade de São João Batista, no lugar indicado como casa de Zacarias.

No dia da solenidade, quinta-feira, 24 de junho, a missa foi celebrada na igreja da Natividade de São João Batista, no lugar indicado como casa de Zacarias. Em 1485 os franciscanos descobriram a capela da Natividade do Batista. Na homilia, Frei Dobromir convidou todos a mergulharem no mistério da sua vida e missão: “O texto de Isaías fala-nos do sentido e da natureza da missão confiada a quem recebe do Senhor um nome, um chamado e uma revelação. Circunstâncias que se adaptam bem a São João Batista. Ele é aquele que “levará a salvação de Deus até os confins da terra e apontará Aquele que tira os pecados do mundo”. (Vatican News).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *