Nova luva eletrônica traduz em palavras gestos de pessoas com deficiências

Pesquisadores italianos criaram uma luva eletrônica que melhora a comunicação com pessoas que tiveram AVC – Acidente Vascular Cerebral – que têm distúrbios do espectro do autismo e déficits neurológicos. A E-Glove traduz gestos dessas pessoas em palavras e permite a tradução da língua de sinais. Ela é uma luva eletrônica experimental que nasceu nos laboratórios da Unicam, Universidade de Camerino, após uma ideia da Limix, empresa de computadores que desenvolveu a luva. O dispositivo inovador é capaz de traduzir em tempo real determinados movimentos das mãos e dos dedos em palavras e frases. A ideia é que a luva possa integrar e completar as atividades de reabilitação do paciente.

Como

Ela tem sensores inerciais – giroscópio, acelerômetro e magnetômetro – que coletam dados de alta frequência, os processa e envia em tempo real via Bluetooth para um smartphone, que contém um banco de dados com os gestos personalizados do usuário. Um algoritmo permite entender se o gesto realizado está entre os gravados e convertê-lo em voz através de um sintetizador de voz. Então, concretamente, o dispositivo entende se a pessoa quer dizer algo e o quê.

Experimental

A luva eletrônica é um protótipo experimental e acaba de entrar fase de testes de campo com pacientes e a colaboração de jovens autistas. Participam dos testes cientistas da computação, estatísticos, matemáticos, fisiatras, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e bioengenheiros. O desenvolvimento do projeto foi possível graças ao cofinanciamento do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *