Ceará recebe carga extra de oxigênio após explosão de fábrica de envase

A White Martins, dona da fábrica de envase de oxigênio (enchimento de cilindros) que explodiu ontem em Fortaleza, informou que o estado está recebendo carga extra O² enviada por unidades de outros estados. O objetivo é repor o estoque e garantir o amplo fornecimento do produto para os hospitais da capital e demais municípios atendidos pela companhia. “Sobre o fornecimento de oxigênio na forma gasosa (em cilindros) para os hospitais de Fortaleza e demais municípios do Ceará atendidos pela companhia, a empresa está trazendo cilindros de outros estados e intensificando a substituição de estocagem de oxigênio na forma gasosa pela forma líquida nos estabelecimentos assistenciais de saúde”, informou hoje a White Martins, em nota. A empresa também esclareceu que o incidente ocorrido ontem não provocará danos à logística de fornecimento, pois a fábrica que explodiu fazia apenas o envase, e não havia produção de oxigênio no local. “As instalações afetadas na unidade não produzem oxigênio e são destinadas apenas ao enchimento de cilindros. A produção de oxigênio líquido no estado não foi comprometida”, diz a nota. De acordo com a White Martins, representantes já teriam feito contato com os vizinhos da fábrica, situada no bairro Carlito Pamplona, para “ressarcimento dos prejuízos”. Um casal residente na região precisou sair de casa devido a riscos identificados posteriormente em vistoria da Defesa Civil. A empresa informou ter providenciado “hospedagem temporária do casal em um hotel”. Apenas uma das cinco vítimas da explosão permanece hospitalizada, em observação, mas com quadro estável. Uma pessoa cuja identidade não foi confirmada recebeu alta neste domingo (25). A causa do incidente está sendo investigada tanto pelas autoridades competentes, sob liderança do Corpo dos Bombeiros, quanto por uma firma especializada contratada pela White Martins. “Uma equipe foi deslocada para o local para realizar uma perícia detalhada do caso. Além disso, técnicos altamente especializados estão fazendo uma avaliação das condições necessárias para que as operações no locam possam ser retomadas com segurança o mais breve possível, também em parceria com as autoridades.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *