Justiça do Trabalho atende MPT e barra demissões na Ford em Camaçari

Uma decisão da 3ª Vara do Trabalho de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), suspendeu o desligamento de empregados da Ford. As demissões estavam marcadas para ocorrer nesta sexta-feira (19). A ordem que suspende os desligamentos foi determinada pelo juiz Alexei Malaquias de Almeida na noite desta quinta-feira (18). Além de proibir as demissões, o magistrado ainda elevou a multa em caso de descumprimento – R$ 5 milhões em caso de descumprimento da medida, somada ao valor de R$ 250 mil a cada trabalhador atingido. Autor do pedido de limiar, o Ministério Público do Trabalho (MPT) informou que tomou conhecimento de emails enviados a alguns supervisores que diziam que o termo de desligamento seria assinado nesta sexta, sem negociação entre as partes. O MPT declarou ainda que uma decisão anterior estabelecia que a empresa não podia demitir empregados da fábrica de Camaçari até que as negociações fossem finalizadas. O Ministério Público do Trabalho também afirmou que na quarta-feira (17), a procuradora Flávia Vilas Boas realizou audiência para apurar os fatos contidos nos emails e identificou a “clara intenção de descumprimento da liminar”. A procuradora então ajuizou ação cautelar na 3ª Vara de Camaçari, que atendeu o recurso e publicou a decisão por volta das 21h. No dia 11 de janeiro passado, a Ford anunciou o fim das atividades em Camaçari e nas outras fábricas da montadora no país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *