Produção e venda em tempos de pandemia são pautas do primeiro dia da 11ª Feira do Umbu

A programação da 11ª Feira do Umbu do território de identidade Piemonte Norte do Itapicuru, na semana passada, teve como tema “Umbuzeiro: símbolo de resistência e sabedoria do sertão”. Pela primeira vez, o evento é realizado de forma virtual, em decorrência dos riscos de contaminação da Covid-19. Este primeiro dia foi marcado pela realização do seminário temático com o tema “produção, comercialização e segurança alimentar e nutricional nos períodos de pandemia”. O seminário contou com a presença do secretário de Desenvolvimento Rural do Estado da Bahia (SDR), Josias Gomes, do coordenador da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do estado da Bahia (Fetraf BA), Rosival Leite, e do vereador do município de Senhor do Bonfim, Rê do Sindicato. “Para agregar valor é importante beber na fonte. Então, que a gente possa extrair da experiência de cada um agricultor e de cada agricultora como é que eles têm transformado em renda este fruto que faz a umbuzada, que faz a cocada. Os usos são diversos e o que importa pra gente é dar condições de agregar valor a este fruto sagrado. A ideia é impulsionar para melhorar a renda e gerar renda para os agricultores familiares da região”, destacou o secretário Josias Gomes ao mencionar a importância da cadeia produtiva do umbu. 

Em sua explanação, o secretário ratificou o quão cara é a agricultura familiar para o Governo do Estado e apresentou números importantes sobre investimentos que têm sido feitos no território de identidade Piemonte Norte do Itapicuru, por meio de projetos como o Pró-Semiárido e o Bahia Produtiva. São mais de R$ 55 milhões direcionados para a agricultura familiar, que beneficia cerca de 15 mil agricultores e agricultoras familiares com ações para o fomento da caprino-ovinocultura, agroindustrialização e assessoramento técnico continuado.  Sobre a importância do evento, o vereador Rê do Sindicato, que é também um dos idealizadores da Feira, destacou a importância de desenvolver ações que garantam o beneficiamento e a comercialização do umbu para os mercados locais e institucionais como PAA e PNAE. “Nós temos organizado essa feira sempre contando com o apoio do Estado. O objetivo é mostrar este fruto nativo e importante para geração de renda, alimentação humana e animal, como também mostrar que é preciso mais investimentos para a área do umbu”, salientou. O Seminário tratou ainda das estratégias de comercialização em tempos de pandemia. Acerca do tema, Rosival Leite exemplificou ações com sistemas de “drive-thru e delivery”, adotados por cooperativas, associações e pelo próprio comércio varejista.  Nesta perspectiva de comercializar a produção da agricultura familiar local, durante o seminário foram expostas peças de artesanato, alimentos beneficiados e outras produções que estarão disponíveis para venda durante os dois dias de evento. Quem tiver interesse em adquirir a produção da agricultura familiar do território de identidade Piemonte Norte do Itapicuru pode fazer seu pedido pelo site da feira, no endereço www.feiradoumbu.com.br. Amanhã a programação do evento contará com o seminário territorial de mulheres rurais no empoderamento socioeconômico. A Feira é uma realização do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Senhor do Bonfim e conta com diversos parceiros, entre eles, o Governo do Estado, por meio do Pró-Semiárido, projeto da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), com cofinanciamento do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *