Vacinas Oxford e Coronavac são eficazes contra variantes da Covid

As vacinas de Oxford e a Coronavac são eficazes contra a cepa do novo coronavírus que circula no Brasil. Dados preliminares de um estudo realizado na Universidade de Oxford, na Inglaterra, indicam que a vacina contra a covid-19 da AstraZeneca é eficaz contra a variante P1, conhecida como brasileira por ter sido descoberta em Manaus, no Amazonas. A CoronaVac, do laboratório chinês Sinovac, também se mostrou eficaz contra a variante, de acordo com estudo feito pelo Instituto Butantan e divulgado por uma fonte da Reuters. As duas análises indicam que as vacinas não precisarão ser modificadas.

Coronavac

A pesquisa sobre a CoronaVac foi conduzida pelo Instituto Butantan, responsável pelo estudo clínico da vacina e que está envasando o imunizante no Brasil, disse uma fonte com conhecimento do estudo à Reuters hoje. O estudo foi feito por meio do exame de amostras de sangue retiradas de pessoas vacinadas com a CoronaVac e testadas contra a variante de Manaus, e os dados preliminares indicam que o imunizante foi eficaz contra a cepa. As pesquisas devem continuar e o estudo será ampliado para a obtenção de dados definitivos. Em vídeo veiculado no portal aberto da Reuters, foi explicado que a fonte não forneceu a eficácia exata da vacina contra a variante.

Resultados

Os resultados completos do estudo devem ser divulgados em breve, possivelmente ainda neste mês. Os novos estudos devem ajudar no avanço da vacinação em todo o mundo, já que resultados divulgados anteriormente indicavam que a vacina da AstraZeneca era menos eficaz contra a variante da África do Sul, que é semelhante à P1. A nova variante tem causado medo na comunidade médica por ser mais transmissível do que cepas anteriores do coronavírus. Ela é vista como um dos fatores para a amplitude da nova onda da pandemia no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *