Internado com Covid, secretário de Saúde da Bahia faz apelo à população; governador ameaça “fechar absolutamente tudo”

Ao avaliar a situação da pandemia de coronavírus na Bahia e falar sobre a ampliação do horário do toque de recolher em 381 cidades do estado, devido ao aumento da ocupação de leitos UTIs Covid-19, o governador Rui Costa afirmou na manhã desta segunda-feira que se a população não ajudar na prevenção ao coronavírus, ele vai tomar medidas mais drásticas, como determinar o fechamento do comércio. “Eu peço a contribuição dos donos de empreendimentos, donos de restaurantes, bares, shoppings. Se essa medida não surtir efeito, a medida terá que ser mais drástica… ou seja, fechar absolutamente tudo. Então, para evitarmos o pior, inclusive para os negócios, é importante que todos colaborem”, disse Rui em entrevista ao Jornal da Manhã. Na sexta-feira (19), o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, disse em entrevista ao Jornal A Tarde que o estado atravessa o pior momento da pandemia no país. E segundo ele, porque a população não tem colaborado, principalmente os mais jovens. “Os jovens que perderam o medo. É possível que precisemos avançar para fechar comércio durante o dia”, alertou o secretário, que está internado com Covid-19. Diagnosticado com a doença há uma semana, Vilas-Boas fez na manhã desta segunda-feira, em vídeo divulgado nas redes sociais, um apelo pedindo a população para evitar aglomerações a fim de que a taxa de transmissão do coronavírus seja reduzida. “Tenho permanecido internado, fazendo uso de oxigênio, tomando medicações. Não tem sido uma experiência fácil, essa é uma doença traiçoeira. Ninguém sabe quem vai melhorar ou piorar. Ter a garantia de uma vaga em um hospital, não é garantia de que você sobreviverá”, afirmou o secretário estadual da Saúde. “Precisamos lutar para que a taxa de transmissão diminua. Precisamos evitar que as pessoas continuem se contagiando, pois não haverá vaga para todo mundo. Os hospitais não vão dar conta”, ressaltou. “Lhe faço um apelo. Lute para que não exista aglomerações em seu bairro. Denuncie à polícia. Combata quem está fazendo aglomerações indevidas”, completa Vilas-Boas. (TV Bahia).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *