Exportações: agro é o único setor a crescer e salva balança comercial em 2020

O Ministério da Economia divulgou nesta segunda-feira, 4, os dados preliminares da balança comercial de 2020. Apesar dos impactos da pandemia, o Brasil registrou superávit de R$ 51 bilhões, faturamento 7% maior do que o de 2019. Enquanto os setores extrativistas e de indústria de transformação tiveram retração nas exportações, a agropecuária teve crescimento de 6%, com mais de R$ 45 bilhões. É importante frisar que alguns produtos do agronegócio acabam sendo enquadrados em outros setores, como é o caso das carnes e dos açúcares, que são incluídos na chamada indústria de transformação. Esse setor registrou queda no ano, porém, quando se isolam apenas esses produtos do agro, os resultados são positivos.

Campeões de crescimento

Na agropecuária, os destaques de exportação são a soja, que cresceu 10,5% e chegou a US$ 28 bilhões; o café, que avançou quase 10% e obteve faturamento próximo de US$ 5 bilhões; e o arroz, com receita menos expressiva, de US$ 140 milhões, mas crescimento de mais de 90% nas exportações. Outros produtos que se destacaram foram o algodão, que avançou 23% nas vendas ao exterior em 2020 e ultrapassou a marca de 2 milhões de toneladas exportadas. A carne bovina faturou quase US$ 7,5 bilhões e embarcou mais de 1,7 milhão de toneladas, enquanto a carne suína teve grande crescimento percentual de mais de 43% e envio de cerca de 900 mil toneladas. Os açúcares e melaços tiveram o maior aumento percentual do ano: 71,33%, com cerca de 31 milhões de toneladas exportadas. “Uma das razões [para o crescimento] é o fim do antidumping na China”, afirma o subsecretário de Inteligência e Estatística de Comércio Exterior do Ministério da Economia, Herlon Brandão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *