Polícia fecha fábrica clandestina de cosméticos que usava tinta de impressora em esmaltes

Policiais da Delegacia do Consumidor (Decon-RJ) fecharam, nesta quinta-feira (8), uma fábrica na Zona Norte do Rio onde eram produzidos cosméticos de forma clandestina. De acordo com as investigações, o dono do estabelecimento usava tintas de impressora como corante para esmaltes. Ele foi preso em flagrante e vai responder por falsificação e adulteração de produtos. A pena pelos crimes pode somar até 15 anos de prisão. O depósito funcionava no térreo de um prédio residencial na Penha. Agentes encontraram 20 funcionários trabalhando sem qualquer vínculo empregatício e sem equipamentos de proteção individual. Segundo a polícia, os rótulos utilizados nos produtos eram de marcas chinesas. “A fábrica não tinha nenhum tipo de autorização da Vigilância Sanitária. O dono utilizava álcool 70 e tinta de impressoras”, disse o delegado André Neves. O material era revendido em grande parte do Rio de Janeiro. O proprietário da fábrica de cosméticos disse que só vai falar em juízo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *