Sindicato aponta falta de segurança e escolas vazias em retorno de aulas em cidade na Bahia

O sindicato dos professores de Brumado, no Sertão Produtivo, no Sudoeste baiano, apontou ausência de itens no protocolo de segurança do retorno das aulas presenciais ocorrido nesta segunda-feira (21). Segundo a representação dos docentes, em algumas escolas havia falta de sabonete líquido, de secadores para enxugar as mãos nos banheiros, de termômetros para medir a temperatura, além de funcionários apenas com máscaras, sem viseiras de proteção. A participação dos alunos também foi em menor número. “Muitas escolas não tiveram nenhum aluno presente. Outras, cinco ou seis. A que teve mais foram 14 estudantes”, disse o presidente da APLB/Delegacia da Caatinga, André Azevedo. Segundo ele, o fato já era esperado. No entanto, só nesta terça-feira (22) o sindicato deve ter uma noção mais clara do primeiro dia de retorno. Um questionário deve ser respondido pelos professores. Azevedo declarou que o fato de o retorno ser facultativo não minimiza a preocupação. Ele ainda citou desperdício da merenda como consequência já nesta segunda. “A gente não teria noção nenhuma se iriam três ou 30 alunos e já há um desperdício grande de merenda hoje porque muitos estudantes não foram para a escola”, acrescentou. O sindicalista declarou também que a categoria não está irredutível e pode voltar desde que haja o cumprimento de todos os itens do protocolo de segurança. “A posição do sindicato para o retorno é firme. O nosso ponto é bem claro. Nós precisamos ter segurança e nós não queremos seguir a lógica do gestor de ser cobaia”, disse. André Azevedo declarou que as aulas não estão suspensas, sendo realizadas online, o que não prejudicaria a perda do ano letivo, como foi dito pelo prefeito Eduardo Vasconcelos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *