Acusado de estuprar e matar universitária em SP é condenado a 40 anos de prisão

O homem acusado de estuprar e matar a universitária Mariana Bazza, no município de Bariri, em São Paulo, foi condenado a mais de 40 anos de prisão. O julgamento de Rodrigo Pereira Alves, de 37 anos, foi realizado nessa terça-feira (25). Como a condenação foi ainda em primeira instância, o advogado dele, Evandro Demétrio, disse que aguarda a publicação da sentença pelo Tribunal de Justiça do estado (TJ-SP) para entrar com recurso. O caso aconteceu em setembro do ano passado. Segundo o G1 SP, a jovem de 19 anos desapareceu após sair da academia onde frequentava, na cidade, no dia 24 de setembro. A polícia e O Ministério Público apontam que o crime foi premeditado, já que imagens de uma câmera de segurança da academia mostram que Alves murchou o pneu do carro dela para depois oferecer ajuda. Foi quando ela aceitou a oferta, que ele cometeu os crimes. No dia seguinte, o corpo da estudante foi encontrado em uma área de canavial em Ibitinga, também no interior de São Paulo. Alves foi preso em Itápolis, outra cidade. De acordo com a denúncia apresentada pelo MP-SP, ele roubou o carro, a carteira da vítima com seus documentos pessoais, R$ 110 em espécie, o celular dela e uma caixa de som. Pelos crimes de latrocínio, estupro e ocultação de cadáver, ele foi condenado a 40 anos, 10 meses e 18 dias de prisão, inicialmente em regime fechado. Quando cometeu o crime, Alves estava há apenas cerca de 30 dias em liberdade. Antes, havia cumprido pena de 16 anos por roubo, sequestro, extorsão e latrocínio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *