Brasileira vende materiais recicláveis pra chegar ao topo do Everest

A montanhista brasileira Aretha Duarte quer chegar ao topo do Monte Everest, a montanha mais alta do mundo – 8.848 metros acima do nível do mar – e pra isso não mede esforços. Pra conseguir os 220 mil reais que precisa para chegar ao Himalaia, Aretha trava uma jornada diária desde março fazendo exercícios físicos e buscando material reciclável pra vender e arrecadar dinheiro. Ela tem 36 anos, mora no Jardim Capivari, na periferia de Campinas, no interior de São Paulo e pode se tornar a primeira pessoa negra brasileira a chegar ao topo do Everest, em 2021. “É uma ótima oportunidade para dar visibilidade e representatividade aos negros, à periferia, à mulher”, afirmou Aretha Duarte em entrevista ao SóNotíciaBoa. Ela revelou que estaria no Nepal em março deste ano como guia de um grupo de trekkers ao Campo Base do Everest, mas a pandemia, que adiou o trabalho, não fez a brasileira desistir do sonho, que já conta com o apoio de diversos artistas na página dela no Instagram.

A ideia

Aretha decidiu fazer a viagem depois de uma foto que viu em dezembro de 2019. Ela ficou maravilhada e disse pra si mesma: “eu quero estar nesse lugar. Eu posso estar nesse lugar”. “A foto do Vale do Silêncio, um trecho do Everest que está entre 6.100 e 6.400 metros de altitude. É um lugar lindo, um vale gigantesco, coberto por neve, cercado por picos acima de 7 mil metros, quando vi fiquei maravilhada e com uma vontade inexplicável de visitar este lugar!”, afirmou.

História

A brasileira é apaixonada por diversidade cultural, viagens, conhecimento, montanhas e pelos desafios, não só nas montanhas como também na vida pessoal. Graduada em Educação Física, com especialização em Fisiologia, Bioquímica, Nutrição e Treinamento Esportivo, ela atua no montanhismo e atividades outdoor desde 2004. Aretha tem experiência em trekking e escaladas nacionais e internacionais;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *