Coronavírus deixa mais de 776 milhões de alunos fora da escola, estima Unesco

A decisão de suspender aulas como forma de tentar conter a contaminação pelo coronavírus já foi tomada em pelo menos 85 países. Cerca de 776,7 milhões de crianças e jovens foram impactados pela medida, segundo a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco). Na Bahia o governador Rui Costa (PT) determinou suspensão de aulas por 30 dias nas escolas estaduais das cidades que registraram casos do Covid-19. Em entrevista à ONU News, de Bruxelas, o representante da agência na ONU e em Organizações Internacionais, Vincent Defourny, afirmou que a agência atua junto das autoridades na implementação desse tipo de medidas. “A Unesco aconselha a aliviar o impacto sobre o currículo escolar de várias formas. A primeira coisa é fazer o uso mais extensivo possível de todos os recursos a distância, que podem ser pela internet, pela rádio, pela televisão e todas as formas que permitem aprender e manter contato com a aprendizagem a distância”, disse. Cerca 15 nações fecharam as escolas de forma parcial. Se a medida for implementada, em nível nacional, deixará mais centenas de milhões de alunos sem aulas. Defourny defendeu que é preciso conciliar esta decisão a cada realidade. “Nesse contexto é muito importante também manter um vínculo com os alunos, criar comunidade e criar um sentido de pertença que seja importante tanto para os alunos como para os professores e para a comunidade. Por isso é muito importante que a estratégia de cada professor seja adaptada à circunstância do país e à circunstância da sua turma. Por isso, o currículo será revisado. Mas damos a possibilidade de manter esse vínculo de aprendizagem e de trabalhar a distância da melhor forma possível”. (BN)