Alunos brasileiros criam bike adaptada para criança com deficiência

Criatividade para melhorar a vida das pessoas. Alunos do Senai, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, desenvolveram uma bike adaptada para criança com deficiência e emocionaram a platéia durante a apresentação do projeto, na semana passada em Governador Valadares, Minas Gerais. A bicicleta foi criada durante o projeto de conclusão de curso da turma do curso de técnico em eletromecânica para quem não tem condição de conduzir uma bike sozinho. Ela simula, ao mesmo tempo, a experiência de pedalar e de guiar e foi projetada para que a criança esteja com os pés fixos no pedal e as mãos no guidom na parte dianteira. Diferente das bicicletas comuns, essa possui outro guidom e outros pedais na parte traseira, para serem conduzidos por outra pessoa, que vai andar na companhia da criança, sem privá-la do prazer de pedalar e guiar o equipamento. A ideia do projeto começou no ano passado depois que o instrutor do SENAI, Marcos Soares, encontrou uma família em um supermercado da cidade e viu uma criança com o sonho de andar de bicicleta. Mas, como ela tem diparesia espástica, um tipo de paralisia cerebral que acomete os membros inferiores, a criança não consegue pedalar sozinha. De acordo com o instrutor, a criança tem força nos membros inferiores, mas, não tem equilíbrio. E pedalar pode estimular os músculos e fortalecer as pernas dela, para que possa fazer caminhada e melhorar o equilíbrio. Uma ajuda além da fisioterapia que ela faz. A história comoveu Soares, que levou a situação para a turma. A fisioterapeuta Natália Virgínia, que também contribuiu no desenvolvimento do projeto, fez um relatório sobre a situação da criança e deu suporte e sugestões de peças ergonomicamente adequadas para a construção da bicicleta. Na apresentação do projeto inovador à comunidade houve uma surpresa: os alunos entraram com a bicicleta no auditório e arrancaram aplausos da plateia emocionada. “O projeto Bicicleta Acessível demonstrou um nível de qualidade muito avançado e conseguiu emocionar a todos, já que transcendeu o conhecimento técnico. Projeto de inclusão social é o primeiro passo de qualquer empresa que quer inovar e ser mais competitiva. Fiquei muito feliz com o resultado”, disse a pedagoga do SENAI, Michelle Araujo. O instrutor Marcos Soares disse que foi um sonho realizado. “O projeto deu certo e agora poderemos melhorar a vida social e a condição física dessa criança que poderá passear pelas ruas de Valadares na bicicleta. Só de saber que o trabalho começou a partir de um sonho de ter uma bicicleta adaptada… o sonho foi realizado”, comemorou.