Governo lança campanha que sugere abstinência sexual para evitar gravidez precoce

A polêmica campanha anunciada pela ministra Damares Alves (Mulher, Saúde e Direitos Humanos), junto ao Ministério da Saúde, que traz a abstinência sexual como uma das formas de evitar a gravidez precoce, terá curta duração. Com o mote ‘Tudo tem seu tempo: adolescência primeiro, gravidez depois’, as peças publicitárias sobre o tema só devem ser veiculadas em TV aberta, outdoors e internet durante o mês de fevereiro – em razão da Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência, que começou no último sábado, 1º. O investimento para a campanha foi de R$ 3,5 milhões. De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 930 adolescentes e jovens dão à luz todos os dias, totalizando mais de 434,5 mil mães adolescentes por ano. O Brasil registra a maior taxa entre os países da América Latina e Caribe, chegando a 68,4 nascidos vivos para cada mil adolescentes e jovens. A ministra afirmou que o foco da campanha é buscar diálogo sobre sexualidade principalmente no período da pré-adolescência, entre 10 e 14 anos. “Quando a gente está falando de gravidez na adolescência todo mundo pensa na menina de 15 anos, eu quero falar na menina de 12 anos”, disse. “Conversamos com todo mundo, especialistas, pais, crianças, adolescentes, e tivemos a coragem de dizer nós vamos falar sobre retardar o início da relação sexual, além dos métodos contraceptivos que já existem, temos agora ‘reflita, pense duas vezes (antes de fazer sexo)’”, declarou. (ISTOÉ)