Projeto de desenvolvimento rural na Bahia foi considerado o melhor do mundo

O Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável da Região Semiárida da Bahia, o Pró-Semiárido, foi considerado o melhor do mundo pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

O fundo das Nações Unidas financia ações de apoio a populações rurais globalmente, entre elas, a iniciativa baiana. O projeto ocupa a primeira posição no ranking de 231 ações financiadas pelo FIDA em 98 países.

O Pró-Semiárido integra um conjunto de ações do governo da Bahia para erradicar a pobreza na região semiárida.

Executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), tem como objetivo reduzir a pobreza rural de forma duradoura, por meio da produção sustentável, da geração de emprego e renda em atividades agropecuárias e não agropecuárias e do desenvolvimento do capital humano e social.

Na Bahia, cerca de 60 mil famílias do Semiárido, de 782 comunidades, localizadas em 32 municípios com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), estão sendo assistidas pelo projeto.

Até o início de 2020, já foram investidos 204,2 milhões de reais em ações de apoio aos principais sistemas produtivos, como a fruticultura de espécies nativas, a apicultura, a caprino-ovinocultura e a bovinocultura de leite.

O diretor-presidente da CAR, Wilson Dias, explica que o projeto utiliza uma metodologia que começa no processo seletivo dos beneficiários, quando é identificada a raiz da pobreza das famílias com maiores dificuldades de acesso a serviços e oportunidades.

A partir dessa etapa, os investimentos são aplicados de acordo com cada realidade. Outro diferencial é a oferta de assistência técnica qualificada e embasada na convivência com o Semiárido.

“Os investimentos são baseados nessa vocação produtiva local. A interação permanente dos jovens, mulheres e famílias que vivem no campo foi o que resultou nessa ação diferenciada, fazendo com que esse organismo internacional, que nos financia, reconhecesse esse projeto como de maior importância dentre todos os outros”, afirmou Dias.

Critérios

Segundo o oficial de projetos do FIDA no Brasil, Hardi Vieira, para o Pró-Semiárido ter conseguido o primeiro lugar no ranking, foram analisados vários aspectos, entre eles, a focalização.

“O projeto tem realizado um trabalho com critérios muito bem estabelecidos nas comunidades. Além disso, também se destacam os mecanismos de focalização de gênero, de participação da juventude, de comunidades tradicionais como quilombolas e fundos e fechos de pasto.”

Outros fatores positivos avaliados foram o mecanismo inovador de monitoramento e avaliação, as parcerias no tema de recatingamento com o Instituto Regional da Pequena Agropecuária (IRPAA), com o Slow Food, tanto na preparação do Terra Madre Brasil Junho 2020, quanto iniciativas de valorização de produtos locais e a reorganização fundiária de comunidades de fundos e fechos de pasto.

Além disso, o projeto tem trabalhado na questão do acesso a água, como, por exemplo, no município de Ponto Novo, onde foi implantado o sistema fusegate, que garantiu a ampliação da capacidade do reservatório de água da barragem em cerca de 24%.

Investimentos que transformam

O FIDA é o fundo da ONU especializado no tema da agricultura familiar e desenvolvimento rural, com operações em África, Ásia, Oriente Médio e América Latina. No total, financia 231 projetos, o que representa aproximadamente 13 bilhões de dólares em iniciativas em andamento.

“Hoje em dia, o Pró-Semiárido tem conseguido praticamente 90% de desembolso e tem mostrado um desempenho muito forte na parte financeira, de aquisições em contratos, no trabalho de comercialização e de acesso ao mercado”, destaca Hardi Vieira.