Wagner se dispõe a coordenar eleições, mas quer autorização de Rui Costa

O senador Jaques Wagner (PT) disse a interlocutores que está disposto a coordenar as eleições deste ano, mas precisa de uma espécie de “autorização” do governador Rui Costa (PT), que hoje lidera o grupo político. Wagner entende que o chefe do Palácio Ondina é o condutor natural do processo eleitoral e não pode interferir sem o aval de Rui Costa. O senador já cobrou publicamente que o apadrinhado reúna o Conselho Político, que tem a presença de presidentes de partidos da base aliada, para tratar dos pleitos nas 50 maiores cidades baianas. A demora do governador para definir as estratégias desta eleição tem provocado reclamações de aliados, que criticam a falta de articulação política no grupo. Rui já sinalizou aos correligionários que não pretende “mergulhar de cabeça” na eleição do próximo ano, apesar do desejo dos aliados de que o petista atue para unificar candidaturas em algumas cidades. O governador não quer entrar em rota de colisão com os figurões do grupo, como o senador Otto Alencar (PSD), o vice-governador João Leão (PP), e a deputada federal Lídice da Mata (PSB). Depois de passar por um cirurgia no início deste ano, Rui está em repousou no Palácio de Ondina, mas tem recebido aliados. (BN)