Casos suspeitos de Malária são notificados em cidade da Bahia

13/03/2023 06:03 •
Warning: Undefined variable $post in /home/wwavoz/public_html/wp-content/themes/avozdocampo/functions.php on line 17

Warning: Attempt to read property "ID" on null in /home/wwavoz/public_html/wp-content/themes/avozdocampo/functions.php on line 17
2m de leitura

Dois casos suspeitos de malária foram notificados pela Secretaria de Saúde de Juazeiro (Sesau), no norte da Bahia. Na sexta (10), o órgão confirmou que os dois pacientes são considerados “importados de outras localidades”, o que significa que a infecção não ocorreu no município, e sim, em regiões endêmicas. A Sesau informou que o primeiro caso é o de um paciente que foi infectado em dezembro de 2022 no continente africano. Ele tinha realizado o tratamento na África, mas, ao retornar, apresentou sinais e sintomas da doença. O segundo caso é de um paciente da região da Amazônia que, ao apresentar sintomas, buscou uma unidade de saúde e teve teste rápido com resultado positivo. Ele já iniciou o tratamento. A Vigilância Epidemiológica acompanha o caso.

O que é a malária

A malária é causada por protozoários que infectam a fêmea do mosquito Anopheles darlingi. O mosquito vetor costuma picar no fim da tarde, durante todo o período noturno e ao amanhecer. Existem cinco tipos diferentes da doença, de acordo com as espécies do protozoário Plasmodium: falciparum, vivax, ovale, malariae e knowlesi. “O vivax e o falciparum são os mais comuns. Este último representa somente 15% dos casos no Brasil, mas é predominante na África e consideravelmente mais perigoso, oferecendo risco aumentado de complicações cerebrais, renais, pulmonares e também de morte. É por isso que a gente não vê tanta gente morrendo aqui. Mas à medida que o paciente fica doente mais tempo, pode desenvolver anemia grave em ambos os tipos”, explica o infectologista Marcus Lacerda, especialista em Saúde Pública pela Fiocruz-Amazonas e pesquisador da malária.

G1*

Leia também