Acelen e Petrobras devem se unir para construir biorefinaria de R$80 mi na Bahia

04/01/2024 07:00 •
Warning: Undefined variable $post in /home/wwavoz/public_html/wp-content/themes/avozdocampo/functions.php on line 17

Warning: Attempt to read property "ID" on null in /home/wwavoz/public_html/wp-content/themes/avozdocampo/functions.php on line 17
2m de leitura

A Acelen Renováveis vai construir uma biorefinaria ao lado da Refinaria de Mataripe, na Bahia, com o foco na produção de diesel renovável e de combustíveis renováveis para aviação, conhecido pela sigla SAF (Combustível Sustentável de Aviação, em inglês), isso através da macaúba, que produz de cinco a sete vezes mais óleo vegetal por hectare do que a soja e será plantada em terras degradadas na Bahia e Norte de Minas.Segundo a Fundação Getúlio Vargas, o investimento de US$ 2,5 bilhões, cerca de R$ 12 bilhões, terá um efeito multiplicador, movimentando mais de R$ 80 bilhões e criando mais 90 mil empregos diretos e indiretos.O CEO da Acelen, Luiz de Mendonça, anunciou o investimento ao jornal Estado de São Paulo. De acordo com ele, o projeto da biorefinaria está na fase final de detalhamento da engenharia, e em seis meses, a construção da fábrica será iniciada, que deve ficar pronta 24 meses contados a partir do início das obras.A previsão é que a fábrica comece a operar na segunda metade de 2026, alimentada por óleos vegetais tradicionais, o óleo de soja, que vai ser comprada do Sul do Brasil e da Argentina. Essa é a primeira fase, até que se possa usar a macaúba.Para a segunda fase, que vai contar com investimento grande em inovação e tecnologia, está prevista a domesticação da macaúba, ou seja, produção de sementes e mudas de alta qualidade. A propriedade que será utilizada já foi comprada e a implementação de um centro de inovação em Montes Claros, em Minas Gerais, iniciada.A macaúba demora cerca de quatro anos para permitir produção, por isso, a empresa irá alimentando a biorrefinaria gradualmente. Para produzir a macaúba de alto poder energético, foi montada uma rede de pesquisas com universidades nacionais e internacionais, como o Instituto Fraunhofer, na Alemanha, a Universidade Cornell, nos Estados Unidos, e a UC Davis, da Califórnia.As conversas entre o Mudabala e a Petrobras estão avançadas. A Petrobras irá avaliar a aquisição de participação acionária e investimentos futuros conjuntos na Refinaria de Mataripe e na Acelen Energia Renovável.

Muita Informação*

Leia também